Connect with us

Brasil

SILICONE MAL FEITO: Professora reclama de dores nos seios e acaba agredida por ex-BBB

Publicado em:

on

Marcos Harter é conhecido na cidade de Sorriso por se envolver em várias polêmicas. Desta vez ele agrediu uma cliente que reclamou do pós cirúrgico.

Uma professora, de 37 anos, denunciou ter sido agredida pelo cirurgião plástico Marcos Harter, que é ex participante do Big Brother Brasil. O fato aconteceu nesta terça-feira (21), em um consultório na cidade de Sorriso (a 420 km de Cuiabá).

De acordo com boletim de ocorrência, a vítima foi até o local para reclamar de um pós cirúrgico, que fez com o médico. Ela alega, em boletim de ocorrência, que passou a ser desrespeitada na frente de outros clientes, devido ao agressor ter ficado bravo com a reclamação dela.

Segundo a vítima, ela está sofrendo dores em um dos seios, devido a uma prótese que colocou com o Harter há dois anos. A prótese estaria ‘torta’ e comprimindo um músculo. Ela também relata que outro ginecologista disse haver um nódulo no seio.

A mulher denuncia que foi xingada de “professora burra”, dentre outras coisas. Ela tentou pegar um celular para gravar a situação, mas foi puxada pelo braço e teve o aparelho tirado pelo agressor e arremessado no chão.

Diante da situação, a vítima procurou a delegacia da cidade e registrou um boletim de ocorrência contra o ex-bbb.

Na delegacia, o site local JK notícias acompanhou o relato da vítima.

Assista

FONTE: RAUL BRADOCK/REPÓTER MT

Faça um comentário

Brasil

Mais de 10 milhões ainda não sacaram fundo do PIS-Pasep; saiba como fazer

Publicado em:

on

Liberado desde agosto de 2019, o saque das contas dos fundos do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) está esquecido por muitos trabalhadores. Segundo a Caixa Econômica Federal, cerca de 10,5 milhões de brasileiros ainda não retiraram R$ 23,3 bilhões.

Tem direito ao saque quem trabalhou com carteira assinada na iniciativa privada entre 1971 e 4 de outubro de 1988. Os interessados devem procurar a Caixa Econômica Federal para retirar o dinheiro. O prazo para o saque vai até 1º de junho de 2025. Após essa data, o dinheiro será transferido à União.

Até maio de 2020, a Caixa administrava apenas as cotas do PIS, destinadas aos trabalhadores do setor privado. No entanto, o Banco do Brasil (BB), que gerenciava o fundo do Pasep, destinado a servidores públicos, militares e funcionários de estatais, transferiu as cotas para a Caixa, o que permitiu a unificação dos saques.

O saque pode ser pedido no aplicativo Meu FGTS, que permite a transferência para uma conta corrente. A retirada em espécie varia conforme o valor a que o beneficiário tem direito. O saldo pode ser consultado no aplicativo, no site do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou no internet banking da Caixa.

O saque de até R$ 3 mil poderá ser feito nas lotéricas, correspondentes Caixa Aqui e nos terminais de autoatendimento, utilizando o cartão Cidadão, com senha. Outra opção é nas agências da Caixa. Acima de R$ 3 mil, somente nas agências da Caixa, mediante a apresentação de documento oficial com foto. Para saber se tem direito às cotas do fundo, o correntista deve consultar o endereço www.caixa.gov.br/cotaspis.

Segundo a Lei 13.932, de 2019, os recursos do fundo ficarão disponíveis para todos os cotistas. Diferentemente dos saques anteriores, realizados em 2016, 2017 e 2018, não há limite de idade para a retirada do dinheiro.

A lei facilita o saque por herdeiros, que passarão a ter acesso simplificado aos recursos. Eles terão apenas de apresentar declaração de consenso entre as partes e a declaração de que não existem outros herdeiros conhecidos, além de documentos como certidão de óbito, certidão ou declaração de dependentes, inventários ou alvarás judiciais que comprovem as informações.

FONTE: Agência Brasil

Faça um comentário

Continue lendo...

Brasil

Itamaraty: governo acompanha com preocupação violência em Beirute

Publicado em:

on

O governo brasileiro informou que acompanha “com preocupação” os atos de violência ocorridos na última quinta-feira (14), na capital do Líbano, Beirute, que deixaram ao menos 6 mortos e dezenas de feridos.

“O governo brasileiro reitera seu apoio ao governo do Líbano e aos esforços de toda a sociedade libanesa para restabelecer a calma e a segurança na capital pela via do diálogo e do entendimento”, diz nota do Itamaraty divulgada ontem (15) à noite. A nota informa ainda que não há brasileiros entre os feridos.

Leia aqui a íntegra da nota do Itamaraty.

Entenda

Na quinta-feira, apoiadores do grupo xiita libanês Hezbollah foram alvos de disparos, quando seguiam para um protesto que exigia o afastamento do juiz que investiga a explosão do ano passado no porto da cidade.

De acordo com o Exército os manifestantes foram atingidos quando passavam por uma rotatória localizada em área que divide bairros cristãos e muçulmanos xiitas. Os tiros teriam partido do bairro cristão de Ain el-Remmaneh.

As tensões políticas causadas pelo inquérito sobre a explosão no Porto de Beirute aumentam, e o Hezbollah, grupo fortemente armado e apoiado pelo Irã, lidera os pedidos de afastamento do juiz Tarek Bitar, acusando-o de ser tendencioso. A explosão deixou mais de 200 mortos em agosto do ano passado.

FONTE: CM7

Faça um comentário

Continue lendo...

Brasil

URGENTE: Adolescente de 16 anos é brutalmente assassinado no Parque São Pedro na capital

Publicado em:

on

Manaus – Na noite desta quinta-feira (14), um auxiliar de oficina, de apenas 16 anos, identificado até o momento apenas como ‘Léo’, foi assassinado no Parque São Pedro, bairro Tarumã, zona Oeste da capital.

De acordo com informações da polícia, o crime possivelmente foi cometido por traficantes da área, que buscavam executar uma outra pessoa. A suspeita é de que Léo tenha sido confundido com o principal alvo e foi morto por engano.

O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para realizar a remoção do corpo. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Faça um comentário

Continue lendo...

Em alta