Governadores do Nordeste cobram liderança de Bolsonaro

Em nota, grupo afirma que estados continuarão seguindo medidas "baseadas na ciência" e pede ao governo federal ações para salvar a economia

0
145
Presidente Jair Bolsonaro, ministro da Educação Abraham Weintraub, Onix Lorenzoni participam da solenidade de ampliação do Programa Educação Conectada nas Escolas e Comemoração do Dia da Bandeira , no Palácio do Planalto | Sérgio Lima/Poder360 19.nov.2019

Os governadores do Nordeste afirmaram estar “frustrados” com as declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), em relação às medidas de segurança no combate à pandemia do coronavírus.

Em nota emitida nesta quarta-feira (25/03), ressaltaram que continuarão adotando atitudes baseadas na ciência e cobraram do chefe do Executivo “papel de liderança” para a manutenção da economia e políticas públicas que ajudem os trabalhadores informais.

“Entendemos que cabe ao governo federal ação urgente voltada aos trabalhadores informais e autônomos. Agressões e brigas não salvarão o país. O Brasil precisa de responsabilidade e serenidade para encontrar soluções equilibradas”, cobraram os governadores.

Por isso, solicitaram “com urgência” coordenação e cooperação nacional para proteger empregos e a sobrevivência dos mais pobres. “Ficamos frustrados com o posicionamento agressivo da Presidência da República, que deveria exercer o seu papel de liderança e coalizão em nome do Brasil.”

Apesar do apelo de Bolsonaro para evitar o isolamento de pessoas que não estão no grupo de risco, governadores reforçaram que continuarão adotando as medidas baseadas na ciência, sob orientação de profissionais de saúde.

“E medidas preventivas gradualmente revistas de acordo com registros do órgãos oficiais de saúde de cada região”, informou o documento, divulgado após conferência.

Mais cedo, a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) também repudiou as declarações de Bolsonaro. Em nota oficial, prefeitos também afirmaram que continuarão seguindo, “rigorosamente”, as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here