Connect with us

Esporte

Brasil perde para Porto Rico e se complica na luta por vaga em Tóquio

Publicado em:

on

A seleção feminina de basquete perdeu para Porto Rico, por 91 a 89, no jogo de estreia no Torneio Pré-Olímpico Mundial de Basquete, realizado na cidade de Bourges (França), na tarde desta quinta-feira (6). A vitória porto-riquenha se deu na prorrogação, após o empate em 83 a 83 no tempo normal.

O resultado complicou a luta das brasileiras por uma vaga na Olimpíada de Tóquio 2020. A seleção terá pela frente no próximo duelo a equipe da França, vice-campeã europeia e, no último embate, a Austrália, vice-campeã mundial. Para garantir uma das três vagas olímpicas, a seleção terá de vencer pelo menos um dos próximos confrontos, e ainda torcer por uma combinação de resultados. Se ganhar os próximos dois jogos, as brasileiras asseguram vaga direta em Tóquio 2020.

Jogo

A equipe comandada pelo técnico José Neto entrou em quadra sem a pivô Clarissa, lesionada. No lugar da pivô, Mari Dias começou jogando junto às titulares Tainá Paixão, Tati Pacheco, Débora e Damiris. As brasileiras enfrentaram dificuldades no início da partida, mas equilibraram o duelo e passaram à frente do placar já no final do primeiro quarto. Destaque para Damiris que anotou sozinha sete pontos.

No segundo quarto, a seleção seguiu dominando, e chegou ao final com vantagem de seis pontos sobre as porto-riquenhas. O panorarama se repetiu no terceiro quarto, e mais uma vez Damiris brilhou, com dez pontos marcados. A partir do último quarto decisivo, a história do jogo mudou: a equipe de Porto Rico voltou como tudo, e foi galgando pontos até chegar ao empate a dois minutos e meio do final, após uma bandeja de Isalys Quiñones. Damiris ainda ganhou dois arremessos, mas só converteu um deles. A virada porto-riquenha veio em seguida, com Quinones, que chutou do garrafão. No minuto final, Érika pegou um rebote e acertou a cesta, deixando o Brasil um ponto a frente das adversárias. O Brasil anotava 83 pontos e Porto Rico 82 quando Rosado errou um dos dois arremessos e empatou novamente a partida. A segundos do fim, a armadora Patty teve a bola do jogo, mas não arremessou e o duelo teminou empatado em 83 a 83.

Na prorrogação, a desatenção e o nervosismo tomaram conta da seleção que cometeu cinco erros no ataque. A porto-riquenha O’Neill abriu sozinha vatagem de 90 a 83. O Brasil reagiu com duas bolas de três de Parry e Débora,e voltou para o jogo. O placar estava 90 a 89 para Porto Rico, a 44 segundos do final. Débora ainda teve uma ótima chance de virar o placar num arremesso a média distância,mas errou. Jeniffer O’Neill  selou a vitória de Porto Rico por 91 a 89 ao converter o primeiro de dois arremessos na linha de lance-livre. Ela foi a cestinha do jogo, com  30 pontos, e a brasileira Damiris  também se destacou com 26 pontos anotados e 15 rebotes.

Confira abaixo os próximos jogos da seleção:

08/02 – 16h30 – Brasil x França

09/02 – 10h – Brasil x Austrália

Faça um comentário

Esporte

Contra Peru, Brasil encerra confusa rodada tripla das eliminatórias

Publicado em:

on

Tite deve repetir time que iniciou jogo interrompido contra Argentina

O duelo contra o Peru encerra a participação do Brasil na primeira de duas rodadas triplas das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022 (Catar). A bola rola a partir das 21h30 (horário de Brasília) desta quinta-feira (9), na Arena Pernambuco, pela 10ª rodada da competição, com transmissão ao vivo da Rádio Nacional.

A realização de três jogos (ao invés de dois) nas datas Fifa (período destinado às partidas entre seleções) de setembro e outubro foi a alternativa encontrada para acomodar duelos que inicialmente seriam em março, mas foram adiados devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). O primeiro compromisso ocorreu na última quinta-feira (2), com vitória brasileira sobre o Chile por 1 a 0 no estádio Monumental de Santiago, na capital chilena.

No domingo passado (5), o jogo entre Brasil e Argentina, na Neo Química Arena, em São Paulo, compensaria o confronto adiado da sexta rodada. A partida, no entanto, foi interrompida com cinco minutos de bola rolando pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), porque quatro atletas da seleção argentina entraram em campo após terem, segundo a agência, infringido regras sanitárias que impedem o ingresso de pessoas que estiveram na Inglaterra nos últimos 14 dias. Eles teriam negado passagem pelo território inglês, apesar de atuarem na liga local. O duelo foi suspenso.

Para a rodada tripla, o técnico Tite não pôde contar com jogadores previamente convocados, mas que não foram autorizados a se apresentarem à seleção pelos clubes ingleses que defendem: os goleiros Alisson e Ederson, o zagueiro Thiago Silva, os volantes Fred e Fabinho e os atacantes Richarlison, Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Raphinha. Depois, perdeu o meia Claudinho e o atacante Malcom, que chegaram a treinar com o grupo, mas tiveram as voltas solicitadas pelo Zenit (Rússia). Para suprir as ausências, foram chamados os goleiros Everson e Santos, o zagueiro Miranda, os meias Edenílson e Gerson e os atacantes Hulk, Vinícius Júnior e Artur.

A baixa mais recente é o zagueiro Marquinhos, que cumpriria suspensão diante da Argentina e estaria à disposição para enfrentar o Peru. O defensor foi liberado em meio à incerteza se estaria apto, ou não, para o jogo de quinta, após o episódio em São Paulo. Com isso, Tite escalará a mesma equipe que iniciou o duelo com os argentinos, como confirmou em entrevista, com: Weverton; Danilo, Lucas Veríssimo, Éder Militão e Alex Sandro; Casemiro, Gerson, Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro; Neymar e Gabriel Barbosa.

O Brasil lidera as Eliminatórias com sete vitórias em sete jogos e 21 pontos conquistados. O Peru, por sua vez, é o sétimo colocado, com oito pontos. Na última quinta, o time de Ricardo Gareca saiu na frente, mas ficou no 1 a 1 com o Uruguai no estádio Nacional de Lima, na capital peruana. No domingo, em duelo atrasado da sexta rodada, a Blanquirroja bateu a lanterna Venezuela por 1 a 0, novamente em casa.

O treinador deve repetir a base que atuou nos dois jogos. A dúvida está no ataque. Paolo Guerrero foi titular na quinta, enquanto Gianluca Lapadulla, suspenso contra o Uruguai, retomou a condição de titular diante da Venezuela, mas deu lugar ao centroavante do Internacional ao longo dos 90 minutos. A provável formação de Gareca terá: Pedro Gallese; Luis Advíncula, Anderson Santamaría, Alexander Callens e Marcos López; Renato Tapia, Yoshimar Yotún, Andre Carillo, Cristian Cueva e Edison Flores; Gianluca Lapadulla (Paolo Guerrero).

No duelo anterior entre brasileiros e peruanos pelas Eliminatórias, em 13 de outubro do ano passado, a seleção de Tite venceu por 4 a 2, em Lima, pela segunda rodada. Os atacantes Neymar (três) e Richarlison balançaram as redes para o Brasil, enquanto Carillo e Tapia marcaram para os anfitriões.

De lá para cá, as equipes se encontraram duas vezes na última Copa América, ambas no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. Na primeira fase, o Brasil goleou por 4 a 0 (além de Richarlison e Neymar, o meia Everton Ribeiro e o lateral Alex Sandro deixaram as respectivas marcas). Na semifinal, o escrete canarinho ganhou por 1 a 0, gol do meia Lucas Paquetá.

 

 

FONTE: Agência Brasil

Edição: Fábio Lisboa

Faça um comentário

Continue lendo...

Esporte

Brasil enfrenta Chile em Santiago pelas Eliminatórias da Copa do Catar

Publicado em:

on

Rádio Nacional transmite partida ao vivo a partir das 22h

O Brasil mede forças com o Chile, nesta quinta-feira (2) a partir das 22h (horário de Brasília) no estádio Monumental de Santiago, em partida da 9ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2022 (Catar). E, mesmo com desfalques e atuando fora de casa, a seleção brasileira chega como favorita.

O favoritismo da equipe comandada pelo técnico Tite é fruto da ótima campanha da equipe na competição classificatória para a Copa do Mundo. O Brasil tem 100% de aproveitamento, com seis vitórias em seis partidas disputadas, além de contar com o ataque mais positivo, com 16 gols marcados. Também vale lembrar que a seleção brasileira e o Chile já mediram forças este ano, pelas quartas de final da Copa América. E a vitória foi brasileira, por 1 a 0, graças a gol de Lucas Paquetá.

Para esta partida, e as duas próximas pelas Eliminatórias, o técnico Tite não poderá contar com alguns jogadores convocados, nove que não foram liberados por equipes da Inglaterra, além de Malcom e Claudinho, que chegaram a se apresentar e treinar, mas que foram liberados para retornarem ao Zenit São Petesburgo (Rússia), após reiterados pedidos do time russo.

Para lidar com mais este desafio, o comandante da seleção brasileira optou por chamar nomes, experientes e jovens, em uma segunda convocação, como o atacante Hulk (Atlético-MG), o zagueiro Miranda (São Paulo), o meio-campista Gerson (Olympique, da França) e o atacante Vinícius Júnior (Real Madrid, da Espanha).

“O atleta se sente orgulhoso de estar na seleção brasileira. Isso está nas entrelinhas, no comportamento, desde o mais jovem até o mais experiente. Quando a gente vê o Dani [Alves] e o Miranda, a felicidade deles e o comprometimento que eles têm no trabalho, na participação, no dia a dia, no contato e naquilo que está fora das câmeras. A gente vê no atleta jovem o quão de sentimento ele tem de vir para cá. E a nós compete proporcionar que eles façam funções que realizam nos clubes deles, porque isso gera tranquilidade e confiança”, afirmou Tite, em coletiva antes da viagem para o Chile, sobre a alegria de jovens e experientes de defenderem o selecionado nacional.

Na entrevista o treinador não deu dicas de qual seria a equipe titular, mas evidenciou um desafio, encontrar meias criativos: “O que estamos buscando é um processo criativo maior, mais meio-campistas criativos. Nossa construção por vezes é muito vertical. Se a seleção estivesse com uma situação defensiva complicada, seria uma possibilidade. Mas a prioridade é a construção ofensiva”.

O fato é que, independente da formação, o objetivo do Brasil é manter a invencibilidade e a liderança folgada nas Eliminatórias.

Clássico com a Argentina

Após o confronto com o Chile, o Brasil recebe a Argentina, no próximo domingo (5) a partir das 16h, em São Paulo. A seleção brasileira fecha a data Fifa contra o Peru, na próxima quinta-feira (9) a partir das 21h30, na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

 

Edição: Fábio Lisboa

Faça um comentário

Continue lendo...

Esporte

Bolsonaro entrega medalhas a campeões olímpicos militares, no Rio

Publicado em:

on

Solenidade foi no centro de treinamento Almirante Adalberto Nunes

Os atletas militares que se destacaram nas Olimpíadas de Tóquio receberam medalhas do presidente Jair Bolsonaro. A solenidade foi realizada nesta quarta-feira (1), no Centro de Treinamento Físico Almirante Adalberto Nunes (Cefan) no Rio de Janeiro.

Foram homenageados cinco dos oito atletas que subiram ao pódio no Japão: Ana Marcela, da maratona aquática; Herbert Conceição, Abner Teixeira e Beatriz Ferreira, do boxe; e Daniel Cargnin, do judô.

Eles integram o Programa Atleta de Alto Rendimento (Paar), do Ministério da Defesa, que apoia 549 atletas, que recebem remuneração, assistência médica, acompanhamento nutricional e estrutura para treinamento.

Em seu discurso, Bolsonaro lembrou do tempo em que era atleta e destacou a dificuldade que participar de competições de alto nível, como os medalhistas olímpicos, que têm minutos ou segundos para garantir a vitória, fruto de anos de treinamento.

“Eu me coloco no lugar de vocês, no Japão. Vocês nos proporcionaram momentos de alegria. Meus cumprimentos a vocês”, disse o presidente, após entregar uma medalha especial ao boxeador Herbert Conceição.

Dos 302 atletas que se classificaram para Tóquio, 92 eram militares, sendo 44 da Marinha, 26 do Exército e 22 da Aeronáutica.

Também estiveram presentes na solenidade, o ministro da Defesa, general Walter Braga Netto; o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno; o comandante da Marinha, almirante de esquadra Almir Garnier Santos, e o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta, entre outras autoridades.
FONTE: Agência Brasil

Edição: Denise Griesinger

Faça um comentário

Continue lendo...

Em alta