Furacão desmonta vantagem gremista e se classifica nos pênaltis

Com intensidade e empurrado pela torcida, Athletico-PR não deu chance para o Grêmio durante os 90 minutos

0
75
PR - COPA DO BRASIL/ATHLETICO-PR X GRÊMIO - ESPORTES - Marco Ruben, do Athletico Paranaense, comemora seu gol, segundo da equipe marcado diante do Grêmio, durante partida válida pela semifinal da Copa do Brasil, realizada na Arena da Baixada, em Curitiba (PR), nesta quarta-feira (04). 04/09/2019 - Foto: GABRIEL MACHADO/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

0 Furacão fez um jogo praticamente perfeito na noite desta quarta (04/09/2019), na Arena da Baixada, contra o Grêmio. Com gols de Nikão e Marco Ruben, o Furacão, pressionando, jogando com intensidade e com a torcida, precisou de pouco mais de 45 minutos para desmontar a vantagem que os gaúchos construíram no jogo de ida.

Apesar da superioridade do time da casa durante o tempo regulamentar, com o placar agregado em 2 x 2, a classificação para as finais foi decidida nos pênaltis. Na disputa, após 5 cobranças perfeitas do Athlético-PR, Pepê errou a última cobrança e se classificou para a final da Copa do Brasil.

O jogo
O princípio do duelo foi tenso na Arena da Baixada, com reclamações de ambos os times em relação à arbitragem e até um princípio de confusão após falta dura em Pepê.

Apesar das confusões, foi o Athletico-PR que conseguiu abrir o placar, incendiando ainda mais a partida. Após jogada pela esquerda de Rony, Bruno Guimarães chutou a bola no travessão. No rebote, Nikão empurrou para o gol.

No decorrer da primeira etapa, o Furacão continuou seu domínio, chegando a ter 68% da posse de bola. Apesar da pressão da equipe da casa, ambos os times empataram em chances criadas e o placar não foi mais alterado.

2º tempo
Mal a etapa complementar começou e o Athletico-PR conseguiu apagar a vantagem que o Grêmio construiu em Porto Alegre. Rony, com um cruzamento certeiro, encontrou a cabeça de Marco Ruben aos 3 minutos, fazendo a torcida explodir na Arena da Baixada.

A situação, que já era dramática para o Grêmio, ficou ainda pior aos 14 minutos. Kannemann fez falta dura em Citadini para parar um contra-ataque do Furacão. O árbitro Tiago Nunes não hesitou e aplicou o vermelho na hora.

Com um a mais em campo e empurrado pela torcida, o Athletico-PR não demonstrou sinais de cansaço e continuou jogando com bastante intensidade, pressionando o Grêmio, encolhido na defesa. A equipe gaúcha se defendeu bem e conseguiu levar a decisão para os pênaltis.

Pênaltis
Na disputa, após 5 cobranças perfeitas do Athlético-PR, Pepê errou a última cobrança e se classificou para a final da Copa do Brasil.