Bebê de jovem que morreu após parto em hospital sem anestesista tem destino traçado

A Comissão de Ética do Hospital São Luiz de Boituva abriu sindicância para investigar a morte da jovem.

0
232

A morte da jovem Ana Paula Saqui de Paula, de 18 anos, após parto normal com uso de fórceps no Hospital São Luiz de Boituva, interior de São Paulo, continua causando comoção. O falecimento ganhou mais um episódio nesta terça-feira (30), com a alta médica recebida pelo bebê.

A recém-nascida estava internada na unidade ddesde o dia 26 de abril, data em que nasceu de parto normal. A mãe queria cesariana, mas não foi possível realizá-la porque a unidade de saúde não tinha anestesia.

O destino da bebê foi traçado. Ela passa bem, apesar de estar orfã de mãe, e foi levada pela família da estudante, que será responsável por sua criação a partir de agora junto ao pai.

A morte de Ana Paula foi parar na delegacia. Parentes registraram boletim de ocorrência por morte suspeita. Ana Paula havia dado entrada no hospital no dia 25 de abril. Ela foi medicada e optou por voltar para casa.

No dia seguinte, ela retornou ao hospital. A médica identificou que ela estaria apta para o parto por causa da dilatação. Ana e seu marido optaram por parto cesariana. A médica tentou contato com o anestesista, mas ele só chegaria ao local por volta das 16h.

Por causa disso, a médica tentou parto normal com uso de fórceps. Após o parto, a jovem de 18 anos teve hemorragia quando já estava no quarto do hospital. Na manhã de sábado (27), ela foi encaminhada ao hospital de Sorocaba, mas morreu antes de chegar ao local. A Comissão de Ética do Hospital São Luiz de Boituva abriu sindicância para investigar a morte da jovem.