Novo garimpo Clandestino atrae garimpeiros e preocupa as forças policiais

As denúncias de tráfico de drogas e posse ilegal de armas de fogo chegam a todo o momento na polícia civil e militar...

0
417

Com pouco mais de um ano após estourar a fofoca do garimpo na cidade de Aripuanã, noroeste do estado de Mato Grosso, a rotina da cidade tem sofrido várias alterações sendo algumas negativas.

O fluxo de pessoas na localidade que foi chamada de segunda “Serra Pelada” vem crescendo de forma descontrolada cada vez mais, e junto com o aumento de as pessoas que lá vão em busca do tão sonhado ouro, vem também as preocupações que ultimamente tem tirado o sossego da população e das autoridades locais.

A grande maioria que povoa o garimpo clandestino, são de pessoas oriundas de outras cidades e estados, é verdade que boa parte são trabalhadores em busca do sonho de melhorar de vida caso consiga encontrar ouro, porém muitos garimpeiros são totalmente desconhecidos dos moradores da cidade de Aripuanã. Há relatos que muitos deles não carregam consigo nenhum documento de porte e identificação pessoal.

Com a descoberta do garimpo clandestino que fica na estrada da linha São Roque, aproximadamente 07 km da cidade, o número de habitantes da cidade aumentou, onde se estima que dentro do garimpo existe hoje uma média de aproximadamente 2.000.00  pessoas, e com previsão que esse número venha aumentar em breve, pois a notícia  da existência do “ouro fácil” na região se espalha cada vez mais, e sem uma fiscalização  ambiental do estado, onde possa fazer uma controle do impacto ambiental que vem crescendo a cada dia na localidade com a escavação e até mesmo a derrubada de árvores centenárias existentes  na região, e também a poluição de rios e córregos existente na região.

A corrida pelo “ouro fácil” de certa forma fomentou o comércio e aqueceu uma boa parte da economia, porém, os problemas de furtos e drogas na cidade também aumentaram, assim também como a criminalidade cresceu bastante nos últimos meses, e uma onda de roubos e furtos vem acontecendo com certa frequência na cidade.

As forças policiais locais, tem tido muito trabalho nos últimos meses, onde já foram apreendidas motocicletas furtadas, droga e denúncia tem chegado até a polícia de traficantes que veem na região um jeito fácil de ganhar dinheiro.

Na localidade onde se concentra o garimpo ilegal a falta de segurança no trabalho é muito precária, mulheres e crianças convivem em situação de riscos lado a lado com o perigo de pessoas trabalhando nos barrancos que na verdade são profundas crateras abertas no solo onde homens trabalham sem quaisquer equipamentos de segurança, colocando suas vidas em risco e também a das pessoas que por lá residem.

A fiscalização por parte dos policiais tem se tornado bem precária, a cidade não possuí um efetivo suficiente que atende à demanda exigida, sendo que já foram feitos levantamentos e enviados ao governo do estado, porém sem nenhum êxito em aumentar o número de policiais na região para ajudar no trabalho de segurança que tem se tornado um grave problema que atormenta muito a população da cidade de Aripuanã.

As denúncias de tráfico de drogas e posse ilegal de armas de fogo chegam a todo o momento na polícia civil e militar que apesar do número pequeno de policiais tem tido bastante êxito em combater a prática criminosa na localidade.

Neste domingo de páscoa uma mulher de 45 anos foi encontrada morta em um buraco de aproximadamente 15 metros existente dentro do garimpo.

O caso da morte da mulher está sendo investigado pela polícia civil da cidade de Aripuanã.

Também foram presos dentro da região do garimpo os irmãos Eduardo Flores de Oliveira e André Flores de Oliveira, também conhecidos por “irmãos cachoeiras ou irmãos Flores” sendo que um dos irmãos (André Flores) possuía um mandado de prisão em seu desfavor, devido a ter participado de um roubo seguido de sequestro de uma família na cidade de Juína, onde o marido, a esposa e uma filha pequena conseguiram se jogar do carro próximo ao CISC da cidade de Juína e lá pediram socorro aos policiais de plantão.

O outro rapaz, Eduardo Flores de Oliveira foi preso por posse ilegal de arma de fogo.

Um novo estudo sobre a falta de segurança na cidade de Aripuanã deverá ser feito e será encaminhado para Secretaria Estadual de Segurança Pública do estado de Mato Grosso e também para o Ministério Público do estado e outros órgãos competentes do estado para que alguma providencia venha ser tomada para garantir a segurança e tranquilidade dos moradores da cidade de Aripuanã.