Início Esporte COPA BRASIL: Com volume de jogo, Santos vence bem, mas centroavante facilitaria

COPA BRASIL: Com volume de jogo, Santos vence bem, mas centroavante facilitaria

Santos criou 20 chances de finalização no jogo e vantagem no placar poderia ser maior

0
165
A Vila Belmiro foi palco, mais uma vez, de um jogo de alta intensidade e cumprimento tático por parte do Santos. A vitória, como foi evidente para qualquer espectador, pareceu uma questão de tempo desde o apito inicial do árbitro. Com inúmeras alternativas, ultrapassagens pelas laterais e espaços dados pelo Vasco, os donos da casa cansaram de criar chances de gol, mas abusaram dos desperdícios, principalmente pela falta de um centroavante.
Falando assim, até parece não ter havido mérito em toda a superioridade santista durante os 90 minutos. Pelo contrário, para o admirador do futebol resta lamentar por tantas chances criadas e perceber que um detalhe poderia transformar muitas delas em gol. Dois foram marcados, um de Rodrygo, concluindo jogada coletiva, e outro de Jean Mota, em bela conclusão.

Soteldo, rápido, liso, com muita habilidade, levou vantagem na maioria dos embates “um contra um” diante dos marcadores vascaínos, talvez tenha feito uma de suas melhores partidas com a camisa do clube.  Só que a maioria desses lances não terminaram em gol. Ou faltou alguém na área, ou faltou um companheiro com mais capacidade de concluir.

Foram incríveis 20 assistências para finalização, segundo o Footstats, número que iguala aquele registrado diante do Corinthians, no Pacaembu. Carlos Sánchez, com 6 e Soteldo, com 5, foram os líderes do time no quesito. Além disso, o Peixe finalizou 22 vezes (7 certas). Novamente uma estatística expressiva, parecida com as dos últimos duelos.

Como foi possível notar, o volume de jogo santista outra vez impressionante, cheio de alternativas, com velocidade, recuperação rápida e intensidade. Argumentos que poderiam ter rendido uma vantagem maior para ser levada para o Rio de Janeiro, na próxima semana. O 2 a 0 já é um grande passo que encaminha a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil, porém com um camisa 9, um centroavante, um goleador, as coisas teriam sido mais fáceis.