Major da PM é preso após espancar esposa e filho por ficar insatisfeito com notas escolar do filho

O delegado estipulou 30 salários mínimos, porém o juiz na audiência de custódia decretou a prisão preventiva para o oficial...

0
657

O Major aposentado da Polícia Militar do estado de Rondônia Wagner G.,62 anos, foi preso na tarde desta terça-feira (02), após o mesmo agredir a esposa, uma mulher de 52 anos e o filho, um adolescente de 14 anos, na residência da família em um condomínio localizado no bairro Nova Esperança, região Norte de Porto Velho.

De acordo com informações obtidas no boletim de ocorrência, a mulher foi até a escola onde o filho estuda, buscar o boletim de notas e quando chegou em casa, fez uma reunião com o esposo e o filho para discutirem sobre as notas não serem boas e nesse momento o Major demonstrou insatisfação com o desempenho do filho e desferiu um tapa no rosto do adolescente, em ato contínuo o oficial pegou uma abraçadeira de nylon e começou às agressões físicas deixando vários hematomas no corpo da vítima que teve ajuda da mãe que desesperada entrou na frente para poder cessar as agressões, mais acabou também sendo agredida socos e tapas no rosto. A mulher chamou a Polícia e quando os PM’s chegaram ao local, a vítima contou todo o ocorrido e ainda disse que vem sofrendo agressões a mais de 16 anos e sempre teve medo e nunca o denunciou com medo de ser morta, mas que dessa vez ela quer o representar e pede uma medida protetiva, pois tem medo dele sair e ele a matar.

Diante dos fatos ele recebeu voz de prisão e foi levado para a Central de Polícia, onde após ser entregue para a Polícia Civil, ele foi ouvido pelo delegado que ouviu da boca do preso, que ele poderia pagar dez salários mínimos, mas que quando saísse ele iria matar a esposa, diante da confusão o delegado estipulou para 30 salários mínimos e ele foi levado para a audiência de custódia, onde também na frente do juiz fez novas ameaças de morte para a esposa, ele foi flagranteado e teve a prisão preventivamente decretada pelo crime de ameaça, lesão corporal e violência doméstica (Maria da Penha) e foi levado para o IML e posteriormente encaminhado para o presídio Vale do Guaporé, onde ficará à disposição da justiça.