Presidente renuncia e consórcio Maracanã inicia transição

O grupo informa que já iniciou o processo de transição para entregar a administração dentro do prazo pré-estabelecido até o dia 18 de abril

0
138

Através de nota oficial, o consórcio que administra o Maracanã informou que seu presidente, Mauro Darzé, renunciou ao cargo após o decreto de encerramento unilateral da concessão por parte do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. O grupo informa que já iniciou o processo de transição para entregar a administração dentro do prazo pré-estabelecido até o dia 18 de abril.

O executivo Marcelo Furquim foi nomeado para ocupar o cargo de Darzé e realizar as atividades remanescentes e transitórias.

Confira a íntegra da nota oficial do consórcio Maracanã:

“Comunicado

O Complexo Maracanã Entretenimento (CME) comunica que deu início a um processo de transferência administrativa do estádio para o Governo do Estado do Rio do Janeiro. O rito obedece ao decreto governamental que determinou o encerramento unilateral da concessão do complexo.

Neste processo de devolução do ativo, o CME designou o executivo Marcelo Furquim para concluir as atividades remanescentes e realizar a transição das funções que vinham sendo executadas por Mauro Darzé, que renunciou ao cargo após a decisão do governo. No período em que esteve sob a administração da Concessionária, o Maracanã tornou-se o estádio que mais recebeu jogos de futebol num mesmo ano no Brasil. Apenas em 2018 foram 57 partidas, sendo que seis estão entre os dez maiores públicos do país naquele ano. Em 2019, apenas até o final de março, 23 jogos terão sido disputados, o que permite projetar um novo recorde. Até a primeira quinzena deste mês, o Complexo foi visitado por mais de meio milhão de pessoas que puderam desfrutar de espaços plenamente conservados através de uma eficiente gestão de zeladoria, que em todo este período foi realizada sem a necessidade de recursos públicos.

A Concessionária Maracanã, pautada pelo compromisso de manter o estádio com plena capacidade de operação e em respeito ao público, aos clubes, parceiros e patrocinadores, está neste momento fazendo todas as gestões necessárias para que o equipamento retorne às mãos do Governo do Estado no menor prazo possível dentro do limite já pré-estabelecido, que é o dia 18 de abril do ano corrente”. Com informações da Folhapress.