Condenado a 15 anos de reclusão jovem que matou a mãe a facadas ao ser repreendido por não limpar o quarto

O suspeito matou a própria mãe com uma facada...

0
132

O assassino Daniel Gomes da Silva, de 19 anos, foi condenado nesta quinta-feira pelo 1º Tribunal do Júri da Comarca de Porto Velho, a 15 anos de reclusão em regime inicialmente fechado, pelo crime de homicídio triplamente qualificado. Ele matou a própria mãe, Janete Clarice da Silva Costa, de 52 anos, no dia 14 de dezembro de 2017. O júri rejeitou a tese defensiva de redução de pena por perturbação de saúde mental alegada pelo advogado do criminoso.

O julgamento teve início às 9h30 desta quinta-feira (14) e finalizou com a leitura da sentença às 17h12. O réu também foi qualificado pelo crime de feminicídio por motivo fútil. O julgamento foi presidido pelo juiz Enio Salvador Vaz.

Durante o julgamento foram ouvidas quatro testemunhas sendo duas de defesa e duas de acusação. Ao ser interrogado pelo juiz, Daniel negou ter matado a própria mãe e disse que outra pessoa possuiu ou tomou posse de seu corpo no momento do crime, mas afirmou lembrar como a mãe dele estava e afirmou que teria pegado a faca na pia onde a vítima lavava louças e desferiu duas facadas nas costas dela.

O irmão e o pai do criminoso também prestaram depoimentos. A defesa sustentou durante todo o julgamento que o réu sofria problemas mentais, pediu a exclusão da qualificadora de motivo fútil, sendo rejeitado pelo júri.

Durante as investigações, os policiais constataram que Janete foi morta porque teria mandado Daniel arrumar o quarto e ele não gostou. “O quarto estava bagunçado e a vítima teria mandado o Daniel ir arrumar, mas ele não gostou e aproveitou o momento que o pai foi colocar o celular para carregar e desferiu um golpe de faca na vítima”, disse o delegado Sandro Moura responsável pelas investigações.