PF deflagra operação para prender associação criminosa que roubava bancos e Correios em Rondônia

A denominação da operação é uma alusão à peregrinação dos envolvidos pelo o estado para a prática de crimes.

0
81

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (17) a Operação Romaria, com o objetivo de desarticular uma associação criminosa, composta por 13 pessoas, que atuava nas regiões Central e Norte de Rondônia furtando e roubando agências dos Correios e do Banco do Brasil.

As investigações foram realizadas pela Delegacia de Polícia Federal de Ji-Paraná e tiveram início a partir de um furto realizado na agência dos Correios de Ministro Andreazza, em 20 de agosto de 2017. Durante as investigações, a PF conseguiu identificar que, além desse furto, a associação criminosa foi responsável por outras três tentativas de furto e por dois roubos.

As tentativas de furto foram praticadas na agência dos Correios de Nova Brasilândia do Oeste, em 21 de agosto de 2017, na agência dos Correios de Itapuã do Oeste, em 27 de agosto de 2017, e na agência do Banco do Brasil, em Nova Brasilândia do Oeste, em 30 de abril de 2018.

Os roubos foram cometidos na agência dos Correios de Porto Velho, em 02 de fevereiro de 2018, e na agência dos Correios de Itapuã do Oeste, em 10 de março de 2018.

70 Policiais Federais estão cumprindo 13 mandados de prisão preventiva e 15 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo 1ª Vara da Subseção Judiciária de Ji-Paraná.

Os presos responderão pelos crimes de furto qualificado (art. 155, § 4º, inc. I e IV, do CP), cárcere privado (art. 148 do CP), roubo (art. 157, §2º, do CP) e associação criminosa (art. 288 do CP).

A denominação da operação é uma alusão à peregrinação dos envolvidos pelo o estado para a prática de crimes.