Disque Denúncia oferece R$ 1 mil por informações sobre paradeiro de médico

Cartaz do Disque Denúncia oferece recompensa por informações sobre o médico Denis Furtado e sua mãe, ainda foragidos

0
124

O Portal dos Procurados, dos Disque Denúncia, divulgou na manhã desta quarta-feira (18) o cartaz com recompensa de R$ 1 mil reais por informações que levem às prisões de Denis César Barros Furtado, 45, conhecido como “Doutor Bumbum”, e da mãe dele, Maria de Fátima Barros Furtado, de 66 anos.

Os dois tiveram a prisão decretada pela Justiça nesta terça-feira e estão foragidos. Mãe e filho são investigados pela morte da bancária Lilian Calixto, 46, na madrugada de domingo após realizar um procedimento estético, no apartamento do médico, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro.

A intervenção ocorreu no sábado e a paciente foi socorrida pelo próprio médico, pela mãe dele, acusada de trabalhar como auxiliar, e ainda pela namorada de Denis, que afirma que trabalhava apenas como secretaria. Os três aparecem nas imagens gravadas pelo circuito interno do hospital.

Lilian Calixto morava em Cuiabá, no Mato Grosso, e chegou ao Rio de Janeiro no final de semana apenas para realização da cirurgia estética nos glúteos. Segundo informações da unidade saúde, ela chegou em estado extremamente grave e mesmo após “manobras de recuperação”, não foi possível reverter o quadro de saúde e a paciente acabou morrendo duas horas após atendimento.

A suspeita é que a mulher tenha sofrido embolia pulmonar devido à aplicação de PMMA – polimetilmetacrilato – material utilizado para fazer preenchimentos faciais e corporais. O produto é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas indicado para situações pontuais e em pequenas quantidades. A Sociedade Brasileira de Cirurgia já havia feito um alerta em 2013 sobre os riscos da injeção do material que não deve ser aplicado nos glúteos.

O presidente da entidade, Niveo Steffen, disse que a aplicação de PMMA para aumento das nádegas é uma prática não permitida pela medicina. “Essa substância é autorizada apenas em pequenas quantidades, indicada para pequenos preenchimentos e principalmente na região da face para pacientes que sofrem deformações no rosto, causada por alguma doença, por exemplo, a Aids, que causa enrijecimento de algumas áreas do rosto.”

O especialista destacou ainda que os locais para qualquer procedimento estético precisam contar com autorização da Anvisa para funcionar. “Esses espaços precisam de equipamentos específicos, como desfibrilador, para garantir a segurança dos pacientes.” Entre os riscos de realizar o procedimento, segundo ele, estão a necrose e a embolia pulmonar.