Expedito Júnior não pagou R$ 2,5 milhões a gráfica e pode ter contas de campanha rejeitadas

Três notas fiscais foram emitidas em nome de “Eleição 2014 Expedito Gonçalves Ferreira Junior Governador”

0
391
Expedito Júnior com Mariana Carvalho em campanha

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) pediu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que inclua e analise novos documentos no processo de prestação de contas de Expedito Júnior. Os documentos referem-se à dívida de campanha do candidato Expedito Gonçalves Ferreira Júnior, que teria contratado serviços gráficos, mas não teria pago o valor devido, no total de R$ 2.565.580,90.

Os documentos chegaram à PRE por meio de uma denúncia, na qual constou que Expedito se comprometeu a pagar à Graff Norte os valores após o segundo turno das eleições, mas, depois do resultado das urnas, a empresa não conseguiu mais fazer contato com o candidato, nem com sua equipe financeira, ficando no prejuízo. Três notas fiscais foram emitidas em nome de “Eleição 2014 Expedito Gonçalves Ferreira Junior Governador”: a primeira no valor de R$ 993.591,20, a segunda em R$ 1.439.989,70, e a última equivalente a R$ 132 mil. A denúncia também apontou que possivelmente essas despesas não seriam contabilizadas na prestação de contas.

Por se tratar de denúncia grave, a PRE pediu ao TRE que os documentos façam parte do processo de prestação de contas de Expedito e que também sejam analisados. O candidato terá direito a se manifestar sobre esses documentos.